Há tempos estive em Santorini, na Grécia. Aquilo me marcou subjetivamente. Ainda me vejo com um chapéu e oclinhos escuros tipo Lennon, olhando aquelas casas brancas, o mar azul lá embaixo e ao redor. Um dia estarei por lá escrevendo meu quinto livro. Enquanto isso, vejo daqui mesmo as gaivotas procurando pouso. Vejo um mundo confusamente fascinante. Pessoas cheias de caos e orgulho, crianças gargalhando no meio do mundo.

Não imagino que isto aqui seja como foi antes (e aos poucos conto sobre isso). Mas sei que será um prazer escrever, quase tão bom quanto (re) conhecê-los.

Eureka!